DSpace
 

RIUFF >
Ciências Humanas, Linguísticas, Letras >
IL - Instituto de Letras >
POSLING - Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem >
POSLING - Tese e Dissertação >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/4031

Title: As representações sociais: como elas moldam a realidade surda
Authors: Mesquita Costa, Louise
???metadata.dc.contributor.advisor???: Cristina Pereira, Telma
???metadata.dc.contributor.members???: de Almeida Magalhães, Armando
Windle, Joel Austin
Favorito, Wilma
Issue Date: 21-Jul-2017
Abstract: No Brasil, políticas educacionais recentes sugerem a desigualdade de tratamento com o intuito de suprir as diferentes necessidades dos alunos. Dessa forma, a escola pode restituir uma igualdade. No caso dos surdos, esse tratamento desigual envolve a oferta da educação bilíngue. Visto que ela ainda não é uma realidade, são altos os índices de reprovação e de evasão escolar. Este trabalho tem por objetivo mostrar como as representações sociais de surdo e de surdez é um dos fatores que geram este problema, uma vez que moldam políticas educacionais e linguísticas. É feito um estudo de caso. O Colégio Estadual Pandiá Calógeras, situado em São Gonçalo, Rio de Janeiro, é o caso escolhido. São descritas e analisadas as ações desta escola no ano de 2009, o segundo ano de inclusão de surdos nesta unidade. A Teoria das Representações Sociais, de Serge Moscovici (2012; 2013), o conceito de representação linguística de Cécile Petitjean (2009), e os estudos sobre política e planejamento linguísticos de Louis-Jean Calvet (2007; 2013) compõem o referencial teórico. Os dados coletados incluem observações participativas, enquetes, documentos, cartas de alunos de classes inclusivas e material adaptado para o ensino de Língua Portuguesa. A partir desse estudo, é possível concluir que a representação de surdez como deficiência ainda é dominante e que verdadeiras mudanças e resultados satisfatórios só serão realidades quando a representação dominante for outra
???metadata.dc.description.abstractother???: Recent Brazilian educational policies suggest unequal treatment for unequal needs of students. This way, the school can reinstate equality. In the deaf case, the unequal treatment involves providing bilingual education. Since it is not a reality yet, the failure and dropout rates are very high. This paper aims to show how the social representations of deaf and deafness influence educational and linguistic policies and how they are one of the reasons for failure at school. For writing this paper, the strategy adopted was the study case. Pandiá Calógeras School (CEPC), located in São Gonçalo, Rio de Janeiro, is the case chosen. This paper describes and analyzes CEPC action plan of 2009, the second year of inclusion of deaf students in CEPC. The theory of social representations, introduced by Serge Moscovici (2012; 2013), Cécile Petitjean definition of language representation (2009) and Louis-Jean Calvet studies of language policy and planning (2007; 2013) build the theoretical framework. The data collected includes observation, an opinion poll, documents, letters of classmates’ deaf students and adapted material for learning Portuguese. From the data, it is possible to conclude that the social representation of deafness as disability is still dominant. True changes and satisfactory results will only become reality when the dominant representation changes
URI: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/4031
Appears in Collections:POSLING - Tese e Dissertação

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação de Mestrado Louise.pdf2.17 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

This item is licensed under a Creative Commons License
Creative Commons

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback