DSpace
 

RIUFF >
Ciências Humanas, Linguísticas, Letras >
IHT - História >
GHT - Artigos de periódicos e Trabalhos apresentados em Eventos >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/103

Title: A construção jesuítica do levante e expulsão da Companhia de Jesus do Maranhão (1661 e 1684)
Authors: Carvalho, Roberta Lobão de
Issue Date: 2013
Publisher: PPGHistória-UFF
Citation: CARVALHO, Roberta Lobão. A Construção jesuítica do levante e expulsão da Companhia de Jesus do Maranhão (1661 e 1684).7 Mares: Revista dos Pós-Graduandos em História Moderna da Universidade Fedral Fluminense, Niterói, v.1, n.2,p.52-63, abr. 2013.
???metadata.dc.relation.ispartof???: 7 Mares: Revista dos Pós-Graduandos em História Moderna da Universidade Federal Fluminense, Niterói,2013
Abstract: Este artigo centra-se na análise da representação dos conflitos de 1661 e 1684, ocorridos no Maranhão, que se encontram na Crônica dos Padres da Companhia de Jesus no Estado do Maranhão (1627-1698) escrita pelo padre jesuíta João Felipe Bettendorff. Os dois motins tiveram como mote a utilização do indígena como mão de obra escrava pelos moradores do Maranhão. Estes conflitos foram emblemáticos para a Companhia de Jesus, pois resultaram, ambos, em expulsões da Ordem das terras maranhenses. No relato desses conflitos, encontramos o discurso retórico do gênero deliberativo, já que o padre Bettendorff tece discursos que visam mostrar e ressaltar os erros dos líderes dos movimentos e como seus atos, supostamente, não possuíam utilidade para a salvação de suas almas, ou mesmo para sua vida civil. O padre ainda trata da justiça e da injustiça dos colonos em relação aos indígenas e aos inacianos, ressaltando que, no seu entendimento, os atos não foram guiados “pela razão e pela piedade”, mas sim “pela ganância”, especialmente quando afirma que “os moradores estavam cegos pela sua cobiça e não discerniam a veleidade de seus atos”
???metadata.dc.description.abstractother???: This article focuses on the analysis of the representation of conflicts of 1661 and 1684, occurred in Maranhão, which are in the Crônica dos Padres da Companhia de Jesus no Estado do Maranhão (1627-1698) written by Jesuit Father João Felipe Bettendorff. The two had riots like mote the use of indigenous and slave labor by residents of Maranhão. These conflicts were emblematic in the Society of Jesus, it resulted, both in the Order of land evictions Maranhão. In the account of these conflicts, we find the rant of the deliberative genre, since the priest Bettendorff weaves discourses that aim to show and highlight the mistakes of the leaders of the movements and how their actions supposedly had no use for the salvation of their souls, or even to civilian life. The priest still treats justice and injustice towards the settlers and the indigenous Ignatian, noting that, in its view, the acts were not guided “by reason and piety,” but “greed”, especially when he says that “The villagers were blinded by their greed and not discern the whim of their actions"
URI: http://200.20.0.125:8080/jspui/handle/1/103
Appears in Collections:GHT - Artigos de periódicos e Trabalhos apresentados em Eventos

Files in This Item:

File Description SizeFormat
v01n02a05.pdf316.16 kBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Valid XHTML 1.0! DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback